Notícias

Produto

Tractoponte e Orizzonti em campo

23/03/2022

A Tractoponte, empresa sediada em Ponte do Abade, Aguiar da Beira, é representante em Portugal, desde 2014, da Orizzonti, fabricante italiana de máquinas agrícolas para vinhas e pomares. Os responsáveis técnicos da Orizzonti estiveram presentes nas ações de demonstração, tendo os eventos decorrido, no primeiro e segundo dia, na região Oeste, onde a Tractoponte tem como parceiro estratégico a empresa AFN Prata, sediada em Vila Verde dos Francos - no primeiro dia, na Quinta do Gradil, no Vilar, no segundo, no Casal do Repelão, Torres Vedras. Ao terceiro dia, a comitiva rumou à zona de Viseu, para demonstrações em Moimenta da Beira, Lamego, e Armamar. Em Beja, onde também estava prevista uma demonstração, resultado da parceria com a empresa Fialho, Corria e Lampreia, o evento foi adiado devido à pandemia.

“O casamento perfeito”
Agostinho Frias é o responsável comercial da Tractoponte, empresa familiar com mais de 25 anos de experiência, e que se dedica ao comércio e exportação de máquinas agrícolas, em particular na área da fruticultura e da viticultura. A empresa tem uma ampla gama de representações de equipamentos para a fruticultura e, mais recentemente, tem procurado enriquecer o seu portfólio no que à viticultura diz respeito.

A Orizzonti, por se dedicar a ambas, foi o “casamento perfeito”. “Permite-nos ter um equipamento entrecepas multifunções, em que o cliente adquire um chassis ao qual pode acoplar mais de quarenta acessórios, tanto nos intercepas como também nas podadoras e despontadoras. O mesmo acontece com os equipamentos de poda através do chassis PMD Vario, em que podemos, do mesmo modo, acoplar diferentes acessórios de corte. Além disso, leva mais de quarenta anos a trabalhar em vinhas e pomares”, referiu Agostinho.

Em relação às demonstrações, o responsável destacou a sua importância. “São muito relevantes para que o cliente possa conhecer a oferta da Orizzonti e a sua qualidade, e, ao mesmo tempo, para que as pessoas da Orizzonti conheçam as necessidades do mercado português. Nesta ocasião optámos por trazer apenas uma pequena parte dos equipamentos da marca, que vão muito além dos intercepas”, resumiu.

Uma máquina para vários contextos
Riccardo Raneri, proprietário e diretor de exportação da Orizzonti, esteve em Portugal para apresentar em primeira mão aos agricultores portugueses as soluções propostas pela sua marca. “Estas demonstrações são muito importantes para nós, para o desenvolvimento da nossa marca. É a oportunidade de mostrar as máquinas em trabalho ao agricultor, de poderem tocar e ver a qualidade do serviço. Assim, podemos perceber as suas necessidades e continuar a melhorar os nossos equipamentos”, começou por referir.

O especialista do Oeste
Responsável pela organização dos eventos na zona Oeste esteve António Nobre Prata, proprietário e gerente da AFN Prata. “Entusiasmado” com a performance e a qualidade dos equipamentos da marca italiana, começou por contar a origem da parceria estratégica da AFN Prata com a Tractoponte.

“Começou há três anos com a venda de alguns produtos da Tractoponte por parte da AFN Prata e resultou, ao dia de hoje, neste acordo de representação da Orizzonti para a zona Oeste. É uma marca com uma gama muito ampla, devido ao sistema modular que utiliza, e específica para a vinha e pomar e é, por isso, muito interessante para nós. São máquinas com uma construção de grande qualidade e de manuseamento muito fácil e prático, como são exemplo os engates. A possibilidade de ao mesmo chassis acoplar várias alfaias é uma grande mais-valia. Estas demonstrações, que começaram pela Quinta do Gradil e depois no Casal do Repelão, são muito importantes para podermos mostrar a mais valia destes equipamentos aos nossos clientes. Este tipo de iniciativa é para continuar”, finalizou.

Agostinho Frias, mostrou também a satisfação de poder contar com o contributo da AFN Prata. “É uma empresa que se enquadra na perfeição no tipo de parceiro que procurávamos para a distribuição da Orizzonti: é um especialista em fruticultura e viticultura, e está habituado a trabalhar marcas de qualidade”.
 


Um chassis, vários acessórios
Os sistemas modulares, em que o agricultor adquire um chassis porta-alfaias ao qual pode acoplar diferentes acessórios consoante as suas necessidades, é uma tendência nas máquinas para a vinha. A Orizzonti não foge à regra. “O nosso objetivo é ter equipamentos modulares, ou seja, em que o agricultor adquire uma base (o chassis porta-alfaias) e, depois, consoante o seu contexto e necessidades, adquire os acessórios de que precisa. Esta polivalência permite-nos ser competentes em diferentes regiões, cada uma com as suas características – do Douro ao Alentejo”, exemplificou.

Na Orizzonti, no entanto, a lógica modular não se resume aos intercepas. “Temos este tipo de sistema modular não apenas para os intercepas mas também para as podadoras, trituradores... toda a nossa gama está desenhada assim. Esta modularidade é uma das vantagens que nos permite ter máquinas a trabalhar em culturas diferentes e ter clientes satisfeitos.

-ler-mais-

Pesquisa

Vídeos mais vistos