Notícias

Feiras e Eventos

FNA - “A Hinomoto está há 50 anos em Portugal”

20/07/2021

Começava por pedir-lhe uma retrospetiva, não só do último ano, como de como tem corrido este projeto Hinomoto?
As primeiras unidades da Hinomoto chegaram em Junho do ano passado. Não havia pior ano para começar. O primeiro ano foi medíocre. E este ano também tem sido atípico. Estamos a passar por uma pandemia, algo completamente novo. Finalmente, temos outro problema, que é a passagem dos motores da fase 3, 3A para fase 5. E não estamos a falar de diferenças de 500 €, nem de tecnologias básicas. Estamos a falar em tecnologias e alterações de preços na ordem dos 2500€ ou 3000€ por unidade. Ora, ainda há marcas que têm modelos com os motores na fase 3, 3A e nós, quando lançámos o nosso produto, lançámos já com motores da fase 5. É uma dificuldade a dobrar. No entanto, como começámos a ter as dificuldades mais cedo que os outros, havemos de recuperar também mais cedo que os outros, espero eu. Assim que passar a pandemia e o mercado regularize, em termos de motores, espero que isto tenha o seu desenvolvimento normal, porque esta é uma marca muito antiga, uma marca que está a comemorar 50 anos de existência na Europa.

A Hinomoto é uma marca com história em Portugal...
Os primeiros Hinomoto vendidos em Portugal foram demonstrados em 1971, estamos em 2021, 50 anos em Portugal. Nunca deixou de ter notoriedade. Não sei se as pessoas têm essa noção, mas o primeiro nome do Japão foi Hinomoto. É uma marca que foi propriedade e foi construída por uma fábrica que se chamava Toyosha. Depois, quando a Toyosha foi vendida à Hitachi para fabricar as miniescavadoras – ainda hoje existe essa fábrica, faz miniescavadoras da Hitachi – a Hinomoto começou a ser fabricada pela Kubota, durante 10 ou 12 anos.

Como funciona a parceria da Sotrac com a Hinomoto?
A Sotrac é a detentora da marca Hinomoto para a Europa. Temos o direito de marca para a Europa. Fizemos uma espécie de refresh/restyle da marca, procurámos parceiros fiáveis para fabricação das nossas máquinas e aqui está novamente. A marca está aqui para durar. A ver se dura, pelo menos, mais 50 anos.

Como está o processo de construção da rede de concessionários?
Estou muito desiludido com alguns revendedores de Portugal. Eu tive outras marcas anteriores a esta e sempre tive muita resistência do cliente final. O cliente final, legitimamente, questionava o que era aquilo, de onde é que vinha, e nós tínhamos que explicar que era de origem X, Y ou Z, que tinha tecnologia tal…tínhamos que explicar bem explicado.
O mais difícil era convencer o cliente final, não era convencer o concessionário/revendedor/agente, o nosso parceiro natural. Neste momento, estamos a assistir a um fenómeno que nunca me passou pela cabeça em 30 anos de trabalho: onde encontro mais resistência é da parte dos revendedores. O cliente final aceita a marca Hinomoto com uma naturalidade que nos deixa muito orgulhosos e satisfeitos. Os concessionários para mim têm procurado “bom, bonito e barato” e não estão a investir a parte deles. Não sei se estou aqui a ser injusto, mas tenho de dizer aquilo que me vai no coração. Para mim, o concessionário tem de investir na Hinomoto como nós estamos a fazer. Isto é um projeto win-win, uma cooperação, temos de ser parceiros de negócio. Os concessionários em Portugal gostam muito de ser subservientes. Não deveria ser assim. Eu sou o único importador que olho para os concessionários como iguais, olhos nos olhos, ao mesmo nível. Espero que um dia ponham a mão na consciência e percebam que, afinal de contas, fui um pioneiro. Eu sei o que é ser concessionário porque já fui um. Pensei que a minha postura seria valorizada pelos revendedores e ainda não está a ser.

Tendo a marca, não só em Portugal, mas para a Europa toda, qual é o projeto?
O projeto vai ser feito passo a passo. Temos revendedores a trabalhar com regularidade, em Espanha e na Hungria. O resto é o “problema português”. Olham para nós como periféricos não nos levam a sério. O europeu do centro ou do Norte olha para Portugal, mas só vem aqui buscar o que não encontram mais barato noutros lados. Eu sei que isto não se faz de um dia para o outro. Tenho esperança que com o tempo, isto mude. A Hinomoto tem um rácio excelente qualidade/Preço para agricultura de pequena exploração; manutenção da paisagem ou simplesmente pra o prazer de trabalhar o campo.

 

- Leia mais -

 

Aproveite a nossa promoção e assine a revista por apenas 20€.
Válida até 20 de julho 2021.

Pesquisa

Vídeos mais vistos