Notícias

Tecnologia

E-Robotiller: cultivo de forma autónoma e proteção do solo e do ambiente

05/08/2021

Numa corrida contra o tempo, a empresa holandesa Reedyk Hydrauliek juntamente com a HWodKa, um grupo de agricultores inovadores da Holanda, trabalham para ter concluído no outono deste ano o primeiro protótipo de robot de campo - o "E-Robotiller" - para cultivo autónomo do solo, movido a hidrogénio e livre de emissões, além de ter a capacidade de reduzir ao máximo a compactação do solo por se tratar de uma máquina leve e conduzida com controlo remoto. 

A expectativa cresce para ver o E-Robotiller ser lançado oficialmente - pode assistir a um teste AQUI - até pelo facto de este conceito já ter ganho o segundo prémio de "Melhor Conceito de Robot de Campo" por parte da "Future Farming". Refira-se que a ideia do projeto só ganhou pernas para a andar depois da Reedyk Hydrauliek e a HWodKa terem recebido um subsídio do governo holandês há cerca de um ano.

33% do peso pode ser convertido em força de tração
Para diminuir o peso da máquina, a HWodKa apostou numa regra empírica: converter um terço do peso do trator em força de tração do mesmo. A relação entre o peso e a capacidade de exercer força de tração reflete-se quando o robot está em ação no terreno. Numa combinação trator/implemento, o peso transferido pelo implemento também deve ser considerado. 

Compactação do solo
Um dos grandes objetivos de construir este robot autónomo de cultivo prendeu-se com a redução da compatação do solo, algo que um trator pesado não consegue fazer: este requer mais potência para superar a resistência ao rolamento e esta ação resulta necessariamente numa maior compactação do solo. Além disso, requer mais energia para eliminar essa compactação com operações de cultivo.

Desta forma, uma das vantagens do E-Robotiller é o seu baixo peso, para que este seja capaz de evitar a compactação do solo. Para uma distribuição de peso ideal, o pacote P&B é acoplado de forma deslizante ao chassis. Outra característica é que o pack P&B é, em princípio, mutável e, portanto, pode ser usado para fornecer energia para outras aplicações, tanto móveis como fixas. 

Seis rolos elétricos e automáticos
O chassis do E-Robotiller é apoiado por 6 rolos elétricos e automáticos, fornecendo estes o suporte, a direção da máquina e o trabalho do cultivo do terreno. Adequado para a montagem de vários acessórios de trabalho, como facas, dentes fixos ou de mola ou ainda um eixo cultivador, entre outros, o chassis inclui ainda um espaço onde ficam armazenados os tanques de hidrogénio - uma célula de combustível de hidrógenio de 50kW, além de uma bateria ajustada à potência máxima de 90kW. 

Refira-se ainda que a intensidade do cultivo é mais controlável e pode ser adaptada às características próprias de cada campo. Existe, por isso, menor hipótese de entupimento por restos de colheita e solo, pelo que a alfaia pode ser acoplada de forma mais compacta.

E-robotiller mostra versatilidade

Uma das características do E-robotiller é a sua versatilidade: a máquina faz desde o controlo mecânico de infestantes em campo total à preparação de sementes e canteiros, passando ainda por operações de restolho que incluem a plantação de adubos verdes e a destruição e cultivo de plantas sob cobertura, entre outras funções.

A expectativa é que o E-robotiller possa ser lançado oficialmente no outono deste ano até porque existe a ideia de que este robot pode levar a uma inovação geral no que toca a técnicas de cultivo: aquela em que dados como o peso, compactação do solo ou preço dos pneus ou esteiras vão perder cada vez mais força.

Pesquisa

Vídeos mais vistos