Notícias

Empresas

Desenvolver é a palavra de ordem

23/07/2022

A Auto-Industrial Divisão Agrícola, empresa do Grupo com o mesmo nome, teve em exposição os tratores da Lovol e da Preet na Feira Nacional da Agricultura. O desenvolvimento está em marcha em ambas as marcas. Miguel Vieira, gerente da Auto-Industrial, Divisão Agrícola, recebeu-nos no stand com a sua equipa comercial. Falámos com João Santos (comercial): “A Lovol já tínhamos apresentado na feira do ano passado, desta vez trouxemos também a Preet, que levámos já à Agroglobal, com os mesmos dois modelos: ambos com motor Mitsubishi, um com cilindrada de 1.000 (20 cv) e o outro com 1.218 (26cv). A Preet já está a desenvolver outros modelos para gamas acima. Este trator ainda vem “à moda antiga”, com o manípulo das mudanças no meio das pernas, e deverá ser alterado até ao fim deste ano com a alavanca ao lado. A caixa é uma 9 por 3”, explicou. Em relação à Lovol ficou também a promessa da chegada de tratores mais potentes para o futuro próximo: “Temos os 25cv, 35cv e os 50cv disponíveis para a União Europeia mas a Lovol também está a desenvolver tratores de 60cv, 75cv e 90cv, podendo estes até surgir mais cedo do que os da Preet.”

Boas perspetivas para o futuro
Contrariamente ao discurso das restantes empresas que abolsamia entrevistou em Santarém, João Santos fez um balanço otimista do mercado, deste ano até ao momento, mas já notou uma diferença de comportamento do cliente em relação a um passado recente. “No caso dos tratores de 20cv e 26cv (Preet), que não são profissionais, não tivemos quebra nas vendas, embora se veja que as pessoas hoje recorrem mais ao crédito. Em relação à Lovol, começámos muito bem o ano nos tratores de 35cv e um pouco mais parado nos de 50cv. Nos últimos dois meses, o cenário inverteu-se: a procura pelos 50cv é maior, especialmente os cabinados”, explicou, mantendo o espírito positivo quando questionado sobre o futuro: “Previsões? Temos muito boas perspetivas. Há stock para responder à procura durante este ano e mais para a frente porque mandámos vir mais unidades para colmatar lacunas que possam surgir.”

 

-ler-mais-

Pesquisa

Vídeos mais vistos