Notícias

Empresas

A tecnologia ao dispor do setor agrícola

23/07/2022

TopCon TapFeed: a alimentação inteligente para a pecuária

A alimentação a dar a um conjunto de cabeças de gado numa exploração representa cerca de 50% dos custos para o agricultor, pelo que encontrar soluções para uma gestão mais controlada e eficiente da ração no futuro é a meta. Esta foi a ideia transmitida pela TopCon, empresa que procura rentabilidade na agricultura com tecnologia acessível, num evento em Maastricht, na Holanda, onde apresentou a TopCon Agriculture Platform (TAP) Feed, um software de gestão de alimentação para gado. “O TAP Feed oferece várias vantagens: avaliar os dados de alimentação e os resultados da carga ou descarga em tempo real”, explicou Bernd Kallfass, engenheiro de sistemas e produtos da TopCon Agriculture, acrescentando: “Além disso, permite gerir de forma mais equilibrada o stock de ração, receber alertas sobre a saúde animal e perder menos tempo a verificar a qualidade e quantidade da ração.”
Esta aplicação que pode ser descarregada gratuitamente na Playstore do Google e Apple App Store e oferece uma “solução tudo-em-um”. O unifeed inclui um dispositivo – Digistar 2810 (com display integrado) ou Digistar 2010 (mais simples) - que regista o peso da ração individual podendo ser calculado o respetivo de cada mistura até atingir o peso ideal, de forma a reduzir mais as perdas de ração. Este dispositivo, que pode ser gerido através do smartphone, envia por bluetooth os dados para a plataforma agrícola, a qual é depois gerida pelo agricultor e restantes interlocutores. Sintetizando, o TAP Feed permite gerir ingredientes, receitas e pré-misturas para vários grupos de gado (cada um tem as suas necessidades nutricionais), registando depois os dados da carga, podendo o operador do unifeed alterar os dados e configuração do dispositivo em qualquer momento.

 

O futuro nas mãos dos agricultores

A Tama, empresa especialista em soluções de enfardamento de culturas, recicla os resíduos de plástico para reutilização, de forma a reduzir o desperdício, e produz redes e fios sustentáveis, contando com a ajuda de várias empresas, entre as quais, a Healix, empresa holandesa de reciclagem nos arredores de Maastricht, onde Aviv Tron, gestor ambiental do Grupo Tama, fez um alerta. “Há que abordar esta questão: os resíduos de plásticos agrícolas são um desafio a enfrentar com urgência pois 60% deles não são tratados conforme os padrões exigidos”, disse, numa conferência de imprensa.
Visitámos a Healix e percebemos que o sistema de coleta – os resíduos plásticos são limpos e reprocessados em polímeros – começa nas mãos do agricultor. “Só tem de desatar o fardo, sacudir os restos de palha do plástico e depois recolhemo-lo e levamo-lo para a reciclagem”, disse Ewald Werschmann, indicando depois as metas da empresa: “Até 2025, queremos coletar 50% do tecido de rede e fio, 90% do algodão produzido e aumentar o uso de plástico reciclado nos produtos Tama num mínimo de 10% em tecido de rede, 30% em fio e 20% em algodão. Queremos ainda reduzir o uso de plástico virgem em 3% em rede, 20% em fio e 10% em algodão.” Há 8 países no Mundo a fazer a coleta mas o objetivo da Tama é que em 2025 sejam 18, pelo menos 13 deles na Europa. Países/Zonas onde já é feita a coleta: Alemanha, Canadá, Espanha, França, Irlanda, Nova Zelândia, Reino Unido, Suécia.

Pneus Alliance VF: o trabalho de equipa a ditar leis

A Yokohama escolheu um evento conjunto com a TopCon e a Tama, em Maastricht, para apresentar os resultados dos testes feitos à tecnologia ‘Very-high Flexion’ dos pneus Alliance em solo dinamarquês, comparando com os pneus IF (Improved Flexion). Com a proteção do solo a ser cada vez mais uma preocupação do agricultor, Henning Sjørslev Lyngvig confirmou “a eficiência e alto rendimento” dos pneus Alliance VF. “Apesar das condições de condução em piso seco extremamente boas, as baixas pressões dos pneus VF reduziram para metade a profundidade do terreno de 79 mm para 45 mm e o deslizar das rodas diminuiu em 4,4 por cento, poupando também no consumo de combustível. Ao medir a densidade do solo com o penetrómetro, verificámos que a compactação do solo feita pelas trilhas dos pneus VF reduziu até 40cm de profundidade”, explicou o consultor de terreno da Seges Innovation, empresa orientada para inovação na agricultura. Gerrit Vinkers, especialista em aplicações da Yokohama Off-Highway Tires, corroborou a análise feita por Henning Lyngvig: “Os resultados mostraram uma redução da profundidade, menor deslize das rodas, compactação menor e resultados da cultura do milho bem melhores nas parcelas em que foram utilizados pneus VF em vez dos convencionais.”
A demonstração foi feita na quinta Groenhof Agro, onde a TopCon e a Tama apresentaram as suas inovações agrícolas e aí, tanto Henning Lyngvig como Gerrit Vinkers foram unânimes num alerta. Com máquinas acopladas aos tratores, a tecnologia VF só é efetiva caso todos estejam equipados com pneus adequados e uma pressão de até 1,0. “Se um trator com pneus VF tiver acoplado um reboque com pneus padrão (pressão 2 a 4 bar), o efeito da menor compactação do solo é anulado”, contou Gerrit Vinkers à revista abolsamia, sorrindo quando o confrontámos com a necessidade de haver uma espécie de ‘trabalho em equipa’ para que o solo saísse a ganhar: “Esta tecnologia levou a ganhos entre 1,5 e 2,2% por hectare para o agricultor, além do aumento de rendimento. É a prova de que os pneus VF não só protegem o solo como também ajudam economicamente o agricultor.”

 

-ler-mais-

Pesquisa

Vídeos mais vistos