Notícias

Empresas

“A Révolution é um mundo”

02/11/2021

Fotos: Workmove

Colocada estrategicamente à porta do novo espaço comercial da Vinomatos, a máquina de plantação Révolution concentrou atenções e despertou o interesse de quem se deslocou ao showroom. Como destacou o técnico de campo Tiago Martinho, “a Révolution é um caso único de inovação e tecnologia ao dispor da agricultura moderna.”


Georges Mandrafina, o criador da máquina, ainda vai mais longe na apreciação. “A Révolution é um mundo! Esta nova tecnologia vem revolucionar totalmente o setor agrícola e a mentalidade do agricultor. Numa altura em que outras empresas estão agora a apostar no sistema GPS, nós já estamos um passo à frente: a Révolution faz tudo, ou seja, numa só passagem coloca a planta, tutor, poste, arame, tubo de gota-a-gota, com ou sem adubo. É uma máquina capaz de fazer o serviço completo ou cumprir determinada função que o cliente desejar”.

Mas não se pense que nos testes efetuados à competência da máquina foram só facilidades. “Uma das dificuldades que encontrámos foi, em zona inclinada, endireitar o tutor da planta porque o poste não se coloca à mesma profundidade do tutor. A máquina enterra o tutor até 40cms de profundidade e o poste intermédio até 70cms. Ou seja, deve ser capaz de fazer o equilíbrio constante para não ficar descaída na parte lateral ou frontal”, disse. “A Révolution elimina a questão dos atrasos nos trabalhos de campo, possibilita a realização do projeto de plantação e aramação com uma única máquina, permitindo a conclusão total dos trabalhos.”

Terceira e quarta fases de inovação concluídas em 2022
“Terminadas as duas primeiras fases de desenvolvimento da máquina, retomamos agora o processo e contamos com os próximos testes de campo, em novembro. A 3ª fase (automatização da colocação do tutor e poste) irá transitar para março de 2022 e a 4ª fase (automatização da alimentação da planta) estará concluída até final de 2022”, estimou o gerente. Georges Mandrafina não tem dúvidas: o passo mais difícil na criação da Révolution foi torná-la capaz de se ir atualizando ao longo do tempo incorporando as inovações necessárias. “Não queria correr o risco do cliente comprar hoje a máquina e amanhã estar já obsoleta”, explicou, destacando o peso atual da máquina (2.500kgs) e o que terá após a 3ª e 4ª fases de inovações (3.000kgs).

Comercialização e fabrico
Acerca da comercialização da máquina, esclareceu: “A Vinomatos presta o serviço de plantação e, além disso, vende a máquina a outros prestadores de serviços. Iremos produzir aproximadamente 16 a 20 máquinas num ano, 4 para venda e entre 12 a 16 para prestação de serviços feita pela Vinomatos. Está a haver muita procura no mercado e esperamos  aumentar a produção.”

- Veja o álbum completo da inauguração do novo espaço comercial da Vinomatos -

“A médio prazo queremos ter uma máquina totalmente autónoma”
abolsamia falou ainda com Tiago Martinho, técnico de campo, que já trabalhou com a  Révolution e identificou uma das melhorias face à versão anterior: “Está preparada para trabalhar em terrenos com inclinação até 14%. O próximo objetivo está delineado: Queremos ter, a médio prazo, uma máquina totalmente autónoma em que já só temos um operador na cabine a controlar todos os trabalhos, pois terá um sistema de autoguiamento.”

 

- Leia mais -

Pesquisa

Vídeos mais vistos