Notícias

Empresas

Dar o salto com o novo LX-351

25/07/2022

"Desde há muito tempo que pedimos à Kubota que nos disponibilize um trator compacto de 30/35cv. Hoje apresentamos finalmente aqui na Feira a Linha LX, que significa um salto grande em relação ao B-26.” O discurso de Bruno Pignatelli confirmou a necessidade que a marca já tinha há algum tempo para o mercado português, com este novo trator com caixa de transmissão mecânica de 12+12 velocidades sincronizadas a mostrar-se uma máquina adequada a culturas especializadas como vinhas e pomares: possui um motor Kubota de 4 cilindros de 35cv de última geração, menos de um metro de largura e um peso mais leve do que os modelos padrão (evita a compactação do solo), além de direção assistida e do cumprimento da regulação de emissões Stage V. “Para quem não pode pagar tratores especializados caros e de grande dimensão mas precisa da potência e capacidade de carga de um trator de tamanho normal, o LX-351 cumpre esses requisitos”, explicou o gerente da Tractores Ibéricos que deu ainda destaque aos atomizadores/pulverizadores de última geração da Fede, marca adquirida pela Kubota no final de 2021. “É um produto tecnologicamente avançado e no qual iremos apostar a partir de agora”, confessou, referindo-se à tecnologia H3O, que permite ajustar a aplicação de tratamentos fitossanitários face ao volume da cultura. Estes atomizadores/pulverizadores conseguem reduzir o uso de pesticidas em 25% e a deriva até 50% bem como poupar cerca de 4 litros por hora em combustível, em relação aos equipamentos padrão. Além disso, têm ligação à internet, permitindo ao utilizador enviar ordens de trabalho e recolher mais tarde todos os dados de cada ação efetuada.

 

Tratores atrasados e entregas pendentes
Revelando algum desconforto por ser “um evento com muitos dias”, Bruno Pignatelli lembrou que a Tratores Ibéricos “nunca falhou a presença”, reunindo mais uma vez a gama completa de tratores que vai dos 16cv aos 170cv. Ainda assim, a guerra da Ucrânia complicou o cenário já de si difícil. “Os problemas com logística e aumento de preços brutais arrastam-se desde 2021. Continuamos com muitos tratores pendentes de entrega, encomendas de máquinas que era suposto terem chegado em julho ou setembro do ano passado e ainda estamos a recebê-las... e os nossos números da quota de mercado refletem-no”, admitiu, lembrando que, até final de Maio, o mercado de tractores está cerca de 17% acima do período homologo do ano passado e quem tem stock dispõe de uma clara vantagem, sobretudo até aos 26cv: “Quem tem, tem! E perguntam-nos: ‘deixou de vender os B2261, o trator que mais vendia?’ E eu digo que não, continuamos a vender bem e sem stock. Encomendamos todos os anos mais unidades do que no ano anterior mas não temos suficientes para entrega. Vemos os números dos concorrentes que estão à nossa frente nesse segmento e têm vendido uma enormidade.”

 

-ler-mais-

Pesquisa

Vídeos mais vistos