Notícias

Empresas

Utilitários para fazer a diferença

25/07/2022

Quem entrava no stand da Tractomoz em Santarém, ficava de imediato impressionado ao observar as Moto-4 que faziam as honras do stand. Quer para lazer, quer para trabalho, as propostas da empresa sediada em Estremoz prendiam a atenção do visitante mais distraído. E variedade não faltou. “Marcamos presença com a nossa habitual vasta gama de representações e quisemos reforçar a nossa vinda aqui com os ATVs e UTVs. Nos primeiros, temos a gama Odes, moto-4 de 650 e 1.000 de cilindrada e ainda os dois ATVs Villain da Segway para lazer. Depois, temos o Fugleman UT10, mais vocacionado para trabalho. Há ainda o veículo de 6 lugares da CF Moto. Já na Can-Am temos o HD10 Pro, versão longa, com dois lugares e uma caixa maior em relação aos outros modelos, que permite trabalhar já numa propriedade para transportar palha e outro tipo de material”, explicou o técnico comercial Luís Pirralho, dando uma visão global do leque de utilitários que a Tractomoz apresentou em Santarém. Finalmente, saltavam à vista os tratores da Rentalmoz. “É a nossa empresa de renting que pretendemos lançar em força no mercado”, explicou.

Cliente muito bem informado
A aposta nos Utilitários também se deve ao facto de se manterem as dificuldades no que toca a entrega de tratores e peças. “Temos tido alguma dificuldade nos prazos de entrega a nível de tratores e alfaias bem como em peças, é um mal geral que está a assolar o mercado. Ainda assim, como a Tractomoz tem algum stock de material, conseguimos ultrapassar essa dificuldade e ser mais rápidos na resposta”, confessa Luís Pirralho, alertando depois para outra questão que deriva de a informação correr, nos dias de hoje, a uma velocidade elevada: “Hoje em dia, o cliente quando vem pedir algo, já sabe se temos o que ele quer. O que pergunta é se temos stock ou não, por isso, embora nos crie algum encargo, se não tivermos, também não vendemos.”

Instabilidade económica dificulta o investimento
O cenário provocado pela invasão da Rússia à Ucrânia dificulta o papel das empresas até porque o cliente, que já estava a readquirir novos hábitos de investimento, agora retrai-se. “Os próximos tempos não serão fáceis. As pessoas pensam duas, três e quatro vezes antes de investir até porque [além da guerra] também tem sido um ano de aumentos de preços em diversos setores o agricultor tem receio da forma como poderão correr as campanhas. Essa instabilidade dificulta o nosso trabalho”, admite Luís Pirralho, acrescentando depois: “Não é o melhor momento, porque se nota [a quebra] até na procura pelos veículos de lazer. Temos algumas situações complicadas no que toca a entrega de tratores e vamos resolvendo mas, até ao fim do ano, o cenário não irá melhorar. Tudo faremos para que, pelo menos, se mantenha assim.”

 

Nova filial em Almeirim
Com filiais em Évora, Beja, Ferreira do Alentejo, Coruche, Muge e Bombel, além da sede em Estremoz, a Tractomoz prepara-se para inaugurar novas instalações em Almeirim. “As obras estão a avançar a bom ritmo. Contamos abrir portas dentro de 6 meses. Também esta filial contará com uma zona de exposição e loja.”, explicou Luís Pirralho, lembrando que, a par das novas instalações, também os recursos humanos da Tractomoz têm sido constantemente reforçados para cumprir uma meta que já tinha sido assumida pelo responsável Luís Mendes, quando falou à revista abolsamia no decorrer da Agroglobal em setembro do ano passado. “O serviço de pós-venda está a ser reforçado, temos trabalhado no sentido de fortalecer os nossos recursos humanos e, embora não esteja a ser fácil pela dificuldade de encontrar mão-de-obra especializada.”

 

-ler-mais-

Pesquisa

Vídeos mais vistos