Notícias

Oficina

Travões = Segurança

15/11/2021

Este tipo de provas, feitas a diferentes velocidades, massas e cargas rebocadas, permitem ter uma noção dos perigos associados aos tratores, que, não esqueçamos, são veículos que foram pensados, desenhados e fabricados para a realização de esforços de tração, em terreno agrícola, a baixas velocidades.
No entanto, a realidade é que o trator, sobretudo em latitudes como a nossa, dedica grande parte do seu tempo a deslocações com implementos suspensos ou rebocados e ao transporte com reboques; por isso, nestas condições, o trator deve ter sistemas de controlo e segurança e é aqui que entra o sistema de travagem.

O objetivo: Imagine-se um trator de 150-200 CV com mais de 5000 kg de massa e um reboque carregado com um peso bruto de 10 toneladas, a uma velocidade de 40 km/h sobre um piso molhado…. Qual seria a distância de travagem? Existe muita diferença entre a distância de travagem a 40 e a 50 km/h?

O que se pretende ao utilizar os travões, é que o veículo em movimento pare ou, caso esteja num declive, impeça que se mova. Para tal, é necessário aplicar uma força na roda de sentido contrário à marcha, isto é, aplicar uma desaceleração ou aceleração negativa.

Evolução

Se durante algum tempo não era dada a devida importância aos travões nos tratores e a travagem era praticamente feita com o travão de motor e outros sistemas de travagem “arcaicos”, como travões de correia ou de tambor, hoje em dia as coisas mudaram “um pouco”, pois, efetivamente, os tratores incluem travões de disco muito mais eficientes. No entanto, será que os sistemas de travagem atuais são suficientes para as velocidades e cargas que se rebocam?
Ao abandonar os travões de tambor ou de correia, passando a ser considerados sistemas do passado – apesar de atualmente ainda serem utilizados para travar o eixo da TdF, por exemplo – o sistema mais habitual é a utilização de travões de discos de ação por compressão, em banho de óleo (húmidos) nas rodas traseiras.

Discos de compressão húmidos
Os conjuntos de discos do travão mantêm uma estrutura semelhante à das embraiagens de discos múltiplos. Situam-se nas mangas do eixo traseiro. Uma vez que funcionam submersos em óleo, o coeficiente de atrito com o qual se deve aumentar a pressão entre discos, é reduzido; além disso, o facto de estar submerso em óleo tem a vantagem de o calor se dissipar melhor.
O seu funcionamento é feito por compressão, isto é, um cilindro hidráulico empurra uns discos contra outros (contra discos) e a força dos travões (fricção) atua em toda a superfície do disco.

Travão de disco de pinça seca
Com o consequente aumento de velocidade e regulamentações mais exigentes, incorporaram-se travões adicionais. Um dos sistemas é colocar um travão de disco, normalmente seco, no eixo de transmissão que leva o movimento ao eixo dianteiro. Esta disposição permite poupar nos custos e a sua ação é idêntica à dos automóveis. A ação dos travões dá-se pelo atrito da pinça do travão sobre um setor do disco.
Uma outra disposição mais eficiente e moderna, é a colocação de travões nas rodas dianteiras. Neste caso, é habitual encontrá-los tanto como travões de disco secos (pinça), como húmidos, semelhantes aos traseiros.
Assistência eletrónica na conexão da tração dupla: Esta disposição está presente em todos os tratores modernos e auxilia muito a travagem. Consiste na conexão automática da tração dupla (TD) quando se acionam os dois pedais de travão simultaneamente.

 

- Leia mais -

Pesquisa

Vídeos mais vistos